2007/01/27

A Teoria da Batata

Um dia destes, debruçado sobre o jornal que lia na sanita, ao ler uma notícia sobre o desenvolvimento agrícola no mundo ocidental, bailou na minha cabeça uma pergunta: "E se as batatas falassem?".
Entusiasmado com a ideia, dirigi-me ao Ministério das Batatas e Afins, onde solicitei toda a informação disponível sobre o assunto.
Fui recebido pela Sra. Ministra das Batatas - que, por sinal, é a favor do aborto batatal - , que me sugeriu uma parceria bastante vantajosa: eu punha as batatas a falar, registava a patente, exportava batatas falantes para todo o mundo e arredores, e oferecia à Ministra 30% dos lucros anuais durante 50 anos.
Achei normal ... afinal as ministras ganham tão pouco, têm reformas de míséria, filhos para sustentar, e aceitei.
Deitei mãos à obra. Depois de muitas peripécias, eis que acontece o milagre: Uma batata decidiu chamar-me "papá". Passei a ser conhecido por "pai da batata".
Mais tarde, outra batata já dizia "papá" e mamã". Então, decidi contar a um amigo próximo o que estava a suceder, ao que ele respondeu:
- As tua batatas dizem "papá" e mamã"? Isso não é nada comparado com um garrafão de plástico que tenho lá em casa e que diz "Água de Luso"!
Lá foi a experiência para o esgoto, a Ministra, inconsolável, demitiu-se e agora é uma pobre coitada gestora de uma empresa pública.
Eu continuo a ler o jornal na retrete.

Sem comentários: